domingo, 20 de maio de 2007

Amiga


Se sempre me vejo só
É porque não desatamos o nó.
Se você se diz confusa e aflita
É porque muito pouco acredita.
Se você quase sempre me evita
É porque seu amor não me grita.
Se a fumaça, ao invés de fogo, faz-se pó,
E porque haverá fim sem piedade ou dó.
Se sua vida, resumindo, não me abriga,

É porque você quer ser apenas outra amiga

Nenhum comentário: